Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Receitas Tolerantes

Sou uma entusiasta da cozinha e da alimentação saudável, e cozinho com amor :)

Receitas Tolerantes

Sou uma entusiasta da cozinha e da alimentação saudável, e cozinho com amor :)

Tarte de Feijão (que de feijão nada tem) e(m) família

História engraçada... Sabem quando estão a ler uma receita e em vez de - digamos - 50g lêem 500g, e em vez duma sobremesa que era suposto ser uma espécie de tarte, húmida e doce - quase ao estilo conventual - acabam com uma espécie de bolo, bastante agradável na mesma, mas nada a ver com a versão original? Estão a ver onde quero chegar com isto? :) E foi assim que, de uma receita, nasceram duas. E como sabermos rir de nós próprios é uma virtude, no meu entender, decidi partilhar convosco a história... E ambas as receitas. A tarte de "feijão" e seu primo bolo de côco. Continuam interessados? A partir de agora isto vai funcionar ao estilo "você decide" (alguém da minha geração a ler, que percebeu a referência? ;)). 

 

Fiz esta receita (a original) pela primeira vez há uns tempos para uma festa de família, a pedido da minha querida sogra. Adoro o papelinho que ela me deu (foto abaixo), faz lembrar as receitas antigas que a minha mãe tinha lá em casa, guardadas dentro duma caixinha de metal axadrezada que já tinha sido da minha avó, e que agora está na minha cozinha, cheia de papelinhos meus. É a receita mais simples de sempre, mas - ficam já avisados - muito pouco simpática para o pneuzinho, e para o colestrol. Leva toneladas de ovos e açúcar. Mas um dia não são dias, e temos de viver um bocadinho ;) 

 

Este fim de semana tivemos um almoço de família lá em casa e aproveitei voltar a fazer esta receita... e consegui fotografá-la para partilhar convosco ;) MAS, e é aqui que entra a parte engraçada, ao reler a receita memorizei que levava 500g gramas de côco, e nasceu o primo da tarte - o senhor bolo de côco - que, apesar de ter partido de um erro, foi um sucesso. A boa da Inês, distraída como é, só se apercebeu deste pequeno pormenor já tinha a receita publicada, pelo que ela esteve online menos de 1h, e hoje volta a renascer, não das cinzas, mas e(m) família! [Bem que me parecia que tinha ficado mais alto, e mais seco do que me recordava, mas... entre o cansaço e eventuais questões de memória, desvalorizei...]

 

A boa notícia é que de uma, acabamos por ficar com duas receitas. E são ambas muito simples! São precisos 8 ovos, 500g de açúcar, e 50g (na versão original) ou 500g de côco ralado (na versão bolo de côco), e açúcar em pó para polvilhar. E é isto. Começei por bater os ovos com o açúcar, e depois envolvi o côco ralado. Coloquei tudo numa forma de tarte, forrada com papel vegetal e levei ao forno pré-aquecido a 180º. Cerca de 40 minutos depois estão prontos ;)

 

Ok. Agora entra aqui a questão do você decide: 1) se preferirem uma versão mais húmida, quase a puxar para o doce conventual, utilizem as 50g de côco; 2) para a versão alta, tipo bolo de côco, utilizem as 500g. Fica ao gosto do freguês. Fotos de ambos abaixo. 

 

 

1) Tarte de Feijão (que de feijão nada tem)

  

DSC01945 b.jpg

 

 DSC01944 b.jpg

 

 

2) ... e seu primo Bolo de Côco

 

DSC01852 b.jpg

 

DSC01874 b.jpg

 

 

E o papelinho, escrito pela mãe do P, que deu origem a tudo isto... ;)

 

Tarte de Feijao 3 b.jpg

 

Ingredientes:

 

1) Tarte de Feijão (que de feijão nada tem)

 8 ovos

500g de açúcar

50g de côco ralado

Açúcar em pó para polvilhar

 

2) ... e seu primo Bolo de Côco

8 ovos

500g de açúcar

500g de côco ralado

Açúcar em pó para polvilhar

 

Bater os ovos com o açúcar, envolver o côco ralado e levar ao forno cerca de 40 mins a 180º graus. Para uma versão mais húmida, quase a puxar para o doce conventual, utilizem as 50g de côco; para a versão alta, quase tipo bolo de côco, utilizem as 500g. Ambas deliciosas, cada uma à sua maneira ;) Servir polvilhados com açúcar em pó. 

 

Boas receitas!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.