Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Receitas Tolerantes

Sou uma entusiasta da cozinha e da alimentação saudável, e cozinho com amor :)

Receitas Tolerantes

Sou uma entusiasta da cozinha e da alimentação saudável, e cozinho com amor :)

Crepes de Alfarroba (sem lactose e sem glúten)

Diria que 99% das nossas refeições são feitas à mesa, com a TV desligada, para apreciarmos devidamente a comida, e porque acreditamos que é um hábito familiar (e não só) saudável. Mas ontem à noite cheguei a casa super cansada, e estava a fazer planos de me sentar no sofá, mandar vir comida, e não mexer uma palha o resto da noite.

 

Encomendámos um sushi (adoro o menú low carb do Home Sweet Sushi), preparámos os tabuleiros com a comida, com toda a boa intenção de fugir à regra só por uma noite, e jantar a ver um filme. Mas à primeira colherada de sopa miso percebi que a coisa não ia funcionar e acabámos por comer à mesa. Verdade seja dita que soube bem melhor ;)

 

Não contente de ter deixado cair por terra parte da minha resolução para a noite de 6ª feira, o universo decidiu que no final do jantar quer eu quer o P iríamos ficar com um súbito desejo de comer um docinho. Já de pijama vestido e com zero vontade de sair, restou-me inventar qualquer coisa rápida com o que tínhamos em casa, quebrando a segunda parte da resolução da noite ;)

 

A parte boa é que o crepe ficou tão maravilhoso que acabámos por repetir a receita - a dobrar - ao pequeno almoço. Para a versão sobremesa usei 1 ovo, 2 colheres de sopa de polvilho doce, 1 colher de sopa de farinha de alfarroba, 1 colher de sopa de geleia de tâmaras e 2 colheres de sopa de leite de amêndoa. Misturei tudo muito bem com a vara de arames para ficar bem homogéneo, e fritei cerca de 2 minutos numa fridigeira com um pouco de óleo de côco. Usei apenas o suficiente para cobrir o fundo da frigideira. Quando estava quase seco, dobrei e deixei tostar um pouco dos 2 lados antes de retirar e repetir com o resto do preparado. Por fim, finalizei com um pouco de manteiga de amêndoa e geleia de côco. Ficámos absolutamente apaixonados. Acho que vai estar em elevada rotação cá por casa nos próximos tempos.

 

DSC00083 b.jpg

  

Para a versão de pequeno almoço dupliquei as doses, excepto a geleia de tâmaras, que usei apenas 1/2 colher de sopa. Mantivémos os mesmos toppings porque ficaram maravilhosos, mas acrescentámos fruta. O nosso pequeno almoço tem sempre - sempre - fruta :) 

 

DSC00093 b.jpg

 

Ingredientes (para 2 crepes):

1 ovo

2 colheres de sopa de polvilho doce

1 colher de sopa de farinha de alfarroba

1 colher de sopa de geleia de tâmaras

2 colheres de sopa de leite de amêndoa

 

Toppings:

Manteiga de amêndoa

Geleia de côco

 

Misturar bem com a vara de arames, e verter metade do preparado para uma fridigeira com um pouco de óleo de côco. Espalhar para cobrir o fundo da frigideira e deixar fritar uns minutos antes de dobrar e retirar. Repetir com o 2º crepe. Finalizar com toppings a gosto.

 

Boas receitas!

 

 

Bolo de Banana e Nozes com Mel

O meu pai é apaixonado por nozes. Adora tudo o que leva noz, e frutos secos duma forma geral, incluindo gelados de noz, strudels de amêndoa, e tranças de noz com mel, nas quais me inspirei para esta receita. E acontece que o meu querido pai fez anos recentemente e eu queria fazer-lhe um bolo saudável q.b., mas decadente o suficiente para dizer "parabéns papá, gosto muito de ti". Aquele miminho, sabem? Até porque o meu pai - e toda a família duma forma geral - são muito gulosos e eu não queria desapontar ;)

 

Para fazer a massa do bolo bati na liquidificadora 2 bananas bem maduras às quais juntei 2 colheres de sopa de manteiga de amêndoa, 1/2 chávena de óleo de côco derretido, 2 ovos, 1 colher de café de baunilha em pó, 1 colher de chá de canela e triturei bem até ficar cremoso. Depois juntei 1 chávena e meia de farinha de espelta (versão sem glúten mais abaixo), 1/2 chávena de farinha de arroz, 3/4 de chávena de xarope de ácer e bati mais um pouco. Por fim, juntei 1 chávena de nozes pecã e 1/2 de nozes normais e triturei um ou 2 minutos, por forma a acabar com uma massa cremosa, mas com alguns pedacinhos de nozes pelo meio. Usei 1 chávena de nozes pecã em vez de usar apenas nozes normais, porque  as primeiras são mais doces.  

 

Antes de juntar esta massa à forma previamente forrrada com papel vegetal, juntei 1 colher de chá de fermento em pó, envolvi com a espátula sem mexer demasiado. Depois de o colocar na forma, levei o bolo ao forno pré-aquecido a 180º graus, onde ficou cerca de 45 minutos.

 

Entretanto deixei o bolo arrefecer totalmente, e preparei a cobertura. Parti 1/2 chávena e nozes (já experimentei com nozes normais e pecã, e ambas ficam ótimas) em pedaços pequenos, e coloquei-os numa frigideira a tostar uns minutos. Quando estavam a começar a ficar do meu agrado (bem tostadinhas, mas sem queimar), juntei 1 colher de sopa de mel e mexi bem. Não demora mais do que 1 minuto a caramelizar, e convém retirar logo do fogo para evitar que passe do ponto. Retirei as nozes para uma taça, e com a frigideira ainda quente, caramelizei 3 colheres de sopa de mel com 1 colher de chá de ghee (podem usar manteiga normal, ou omitir). 

 

Para finalizar, espalhei as nozes pelo bolo de forma homogénea, e coloquei o "molho de mel" por cima. O bolo ficou fofinho, como se quer, e a cobertura funcionou às mil maravilhas para (tentar) convencer a família de que as minhas receitas saudáveis também podem ser deliciosas. As nozes caramelizadas deram-lhe aquele toque extra que tornou um bolo relativamente banal, embora delicioso, num momento especial. Foi um grande sucesso ;) 

 

Entretanto, voltei a reproduzir esta receita, desta vez sem glúten, para uma jantarada com amigos com algumas restrições nesse campo, e até acho que gosto mais desta versão! Substituí a farinha de espelta por uma mistura de farinha trigo sarraceno e lucuma (só porque gosto do sabor) e goma xantana para ajudar a ligar a massa (quantidades exatas em baixo).

 

 

DSC02409 b.jpg

 

 

DSC02403 b.jpg

 

 

IMG_20171112_150603 c.jpg

 

 

Ingredientes - versão com glúten/ sem glúten:

2 bananas maduras

2 colheres de sopa de manteiga de amêndoa

1/2 chávena de óleo de côco derretido

2 ovos

1 colher de café de baunilha em pó

1 colher de chá de canela

1 + 1/2 chávenas de farinha de espelta/ 1 chávena de farinha de trigo sarraceno + 1/2 chávena de lucuma

1/2 chávena de farinha de arroz

3/4 de chávena de xarope de ácer

1 chávena de nozes pecã

1/2 chávena de nozes normais

1 colher de chá de fermento em pó

 

Para a cobertura:

1/2 chávena de nozes/ nozes pecã

4 colheres de sopa de mel

1 colher de chá de ghee (ou manteiga)

 

Nota: eu costumo usar uma medida de chávena/ "cup" que corresponde +/- a 200g (o standard é 250g).

 

 

Bater os ingredientes todos à excepção das nozes e do fermento até formar uma pasta cremosa. Juntar as nozes e bater novamente de forma a ficar com pedacinhos pequenos de nozes. Juntar o fermento, envolver e levar ao forno pré-aquecido a 180º graus, cerca de 45 minutos.

Para a cobertura, colocar 1/2 chávena de nozes partidas numa frigideira a tostar. Quando estiverem tostadas, juntar 1 colher de sopa de mel, mexer bem e retirar do lume. Aproveitar a frigideira ainda quente para caramelizar 3 colheres de sopa de mel com 1 colher de chá de ghee.

Colocar as nozes em cima do bolo, devidamente arrefecido, e finalizar com o "molho de mel".

 

 

Bom proveito, e boas receitas!

Bolonhesa de Cogumelos

Para variar um bocadinho da última leva de doces atrás de doces, desta vez temos uma refeição. Vegetariana. Como alguns já sabem, temos reduzido drásticamente o nosso consumo de carne e peixe em casa, e procuramos alternativas vegetarianas completas e nutritivas. Com o frio, começa a apetecer pratos mais ricos e quentes como esta bolonhesa de cogumelos que fizemos o fim de semana passado.

 

Geralmente utilizamos cogumelos frescos, mas tínhamos meio saco de cogumelos congelados bio, e aproveitámo-los para esta receita. Salteei-os no wok com 1 fio de azeite, e molho de soja até soltar grande parte da água, cerca de 5 minutos. Antes de juntar os restantes ingredientes, retirei grande parte da água, e deixei fritar um minuto em lume alto. Depois juntei 1 curgete média, 4 botões de tomate seco picados, cebolinho, oregãos, manjericão e tomilho (secos), 2 colheres de sopa de pimenta da terra, polpa de tomate, uma pitada de sal e pimenta, 1 chávena de água, e deixei cozinhar cerca de 15/ 20 minutos.

 

A pimenta da terra, aproveito para referir, é uma espécie de polpa de pimento vermelho picante, e adocicado ao mesmo tempo, que compramos nos Açores. Costumamos ir lá mais ou menos regularmente, e trazemos sempre de volta alguns sacos connosco. Podem perfeitamente omiti-la, ou substituir por massa de pimentão, ou pimento vermelho picado, por exemplo.

 

Quando o molho estava quase pronto, cozemos um ninho de massa de arroz (usámos massa pho)  - cerca de 2 ou 3 minutos apenas, juntámo-la ao molho, e deixámos cozinhar mais 1 minuto ou 2. A massa pho é uma massa muito utilizada na cozinha Vietnamita que é muito sensível e facilmente coze demais, se desfaz, ou fica colada. Daí que, idealmente, esta massa deve ser comida com calda, estilo sopa asiática, ou com bastante molho, para ficar soltinha e húmida. No primeiro caso, o ideal é juntá-la diretamente no caldo, ainda a ferver, e ela coze no próprio caldo; no segundo caso, convém que coza pouco antes de a juntar ao molho, para evitar que fique demasiado "passada". Estas são algumas das dicas que tenho aprendido nos últimos anos, à base de tentativa e erro. Já comemos massas muito mázinhas cá por casa antes de atinarmos com ela ;)

 

Finalmente, sugiro polvilhar com um pouco de levedura para lhe aquele toque cheezy, e que a comam logo porque, mais uma vez, esta massa tende a ficar menos agradável quando muito cozida, e o mesmo acontece quando é reaquecida.

 

IMG_20171111_200758 g.jpg

 

Ingredientes:

Cerca de 200 ou 300g de cogumelos congelados

1 fio de azeite

1 colher de sopa de molho de soja

1 curgete média

4 botões de tomate seco

Cebolinho fresco a gosto

250 ml de polpa de tomate

2 colheres de sopa de pimenta da terra (poderá ser substituído por massa de pimentão/ pimento vermelho)

Oregãos seco (1 colher de chá)

Manjericão seco (1 colher de café)

Tomilho seco (1 colher de café)

 

Saltear os cogumelos num fio de azeite e soja até soltar bastante água. Escorrer a água, fritar 1 minuto para alourar um pouco, e juntar os restantes ingredientes. Deixar cozinhar cerca de 15-20 minutos. Cozer a massa pho 2 ou 3 minutos, juntá-la ao molho, e deixar cozinhar mais 1 minuto. Servir de imediato.

 

Boas receitas!

 

 

Crumble de Frutos Vermelhos (super simples)

Já falei aqui anteriormente do meu famoso crumble de maçã, sem glúten e sem lactose. É a sobremesa com mais saída cá em casa, todos os meus amigos adoram, e eu e o P também. Mas, apesar de não ter glúten nem lactose, leva uma quantidade generosa de acúçar e, talvez por isso, actualmente só o fazemos de tempos a tempos, geralmente a pedido de algum amigo.

 

Esta 6ª feira deu-me um súbito desejo de fazer um crumble para terminar em beleza o nosso jantar caseiro de pizza e vinho. Queria tirar a pizza do forno e colocar o crumble para cozinhar enquando jantávamos portanto tinha de ser muito rápido. Felizmente tinha comprado frutos vermelhos no Celeiro a caminho de casa, mesmo perfeitos para a ocasião. 

 

Coloquei os frutos vermelhos no pirex, e o P foi ajudando a preparar o resto. Nada como um esforço de equipa bem sincronizado para fazer as coisas de forma rápida e eficiente ;) Para a cobertura, em vez da (minha) tradicional mistura de farinha de milho, açúcar mascavado e manteiga/ margarina vegetal, utilizei 1 chávena de flocos de aveia (podem usar sem glúten), 1/2 chávena de farinha de milho, 1/4 de chávena de xarope de ácer, e 1 colher de chá generosa de ghee, para lhe dar aquele sabor amanteigado. Em alternativa, podem usar óleo de côco, mas em maior quantidade (1 colher de sopa deve chegar). Misturei tudo num recipiente com um garfo até estar bem envolvido mas ainda com grumos. 

 

Cobrimos os frutos com a mistura e seguiram para dentro do forno, de onde tinha acabado de sair a pizza (missão cumprida!!), onde cozinharam cerca de 25 mins em forno pré-aquecido a 180º. Comemos devagar, mas ainda tivemos uns minutos para o jantar "acamar" enquanto esperávamos. 

 

Caso gostem das vossas sobremesas mais doces (nós gostamos das nossas doces q.b.) podem espalhar uma colher de sopa de xarope de ácer por cima para lhe dar um toque mais doce e ainda mais crocante, porque o xarope deverá ajudar na "caramelização". 

 

Comêmo-lo imediamente, ainda quente e sem nada a acompanhar - e estava maravilhoso - mas eu adoro acompanhar o crumble com uma bolinha de gelado (idealmente caseirinho e sem lactose) para criar o contraste quente frio ;) De qualquer forma, mesmo assim simples, soube maravilhosamente. Era mesmo o que me estava a apetecer. Com a vantagem de ser tão saudável que convertemos o que sobrou no pequeno almoço do dia seguinte :) Win-win ;) 

 

IMG_20171110_212608 b.jpg

 

IMG_20171110_212805 b.jpg

  

IMG_20171110_212927 b.jpg

  

Na versão de pequeno almoço acrescentámos umas colheres de sopa de "quark" de soja sem açúcar da Provamel, e maqui em pó. 

 

IMG_20171111_101744 b.jpg

 

IMG_20171111_101940 c.jpg

 

Estou-me neste momento a controlar seriamente para não ir a correr fazer outro. Com maçã e canela, para variar ;)

  

Ingredientes:

250g de frutos vermelhos

1 chávena de flocos de aveia

1/2 chávena de farinha de milho

1/4 de chávena de xarope de ácer

1 colher de chá de ghee/manteiga clarificada

(ou 1 de sopa de óleo de côco)

 

Colocar os frutos vermelhos (outra fruta que gostem) no fundo do pirex, misturar os restantes ingredientes , e colocar por cima numa camada uniforme. Cozinhar cerca de 25-30 mins num forno pré-aquecido a 180º. Os mais gulosos poderão espalhar uma colher de sopa de xarope de ácer por cima para o tornar mais docinho, e ainda mais crocante.

 

Dica: para um crumble AINDA mais rápido, podem substituir o preparado de flocos de aveia e farinha por bolachas saudáveis que tenham em casa, como fizémos com as nossas bolachas de amêndoa e cacau. Simplesmente esmaguei as bolachas para cima dos frutos, e levei ao forno cerca de 10-15 minutos. Mais rápido que isto não há! ;)

 

 Picture1 b.jpg

 

Boas receitas!

Souflé de Aveia com Mel

Às vezes é bom fazer pequenas variações às receitas do costume. Aliás, duma forma geral, procuramos variar sempre o que comemos a todas as refeições porque acreditamos que o mais saudável é, no fundo, comer de tudo de forma equilibrada. Tentamos não abusar de açúcares processados, gorduras, e fontes de proteína animal, mas se há coisa que 34 anos de vida e a perda de 35 kgs há mais de 10 (com alguns períodos menos bons pelo caminho) me ensinaram foi que o equilíbrio é a chave de tudo. 

 

Divagações à parte, sabe bem de vez em quando fazer pequenas variações nos nossos pratos preferidos, e torná-los mais "interessantes". Foi o que fizémos com as míticas overnight oats. Quem me acompanha no Instagram sabe que fazemos muitas vezes smoothie bowls e papas de aveia (e não só) para o pequeno almoço. Geralmente papas cruas que deixamos preparadas na noite anterior, e de manhã juntamos fruta e alguns toppings, e temos um pequeno almoço super nutritivo pronto em minutos. O meu combinado preferido leva aveia, linhaça e chia ou despertar de buda e alguma combinação dos outros 3. Junto-lhes leite vegetal, e um superalimento ou adaptogéneo em dose moderada, outras vezes mantemo-nos mais tradicionais e ficamo-nos pela canela e/ou gengibre, cacau ou côco, para tornar o sabor mais interessante.

 

Esta é uma daquelas receitas, se é que se pode chamar-lhe isso, que parte do simples, e eleva-o, simplesmente com uma pequena variação. Preparámos umas overnight oats com aveia (3 ou 4 colheres de sopa), 1 colher de sopa de linhaça e outra de chia, e o dobro de leite vegetal, e colocámo-las no frigorífico durante a noite. De manhã, juntámos 1 ovo, 1 fio de mel e levámos ao microondas uns minutos em 2 ramequins untados com óleo de côco. Eu sei que há quem não seja adepto do microondas, e nesse caso, poderá perfeitamente usar o forno. A ideia é apenas cozinhar estas "overnight oats" com o ovo durante uns minutos, até se tornar uma espécie de bolo de caneca ou, como eu lhe gosto de chamar porque fica mais chique, um soufflé de aveia. Bastam 5 minutos no microondas, caso contrário fica seco, e no forno, diria que cerca de 10 mins a 180º. 

 

Se quiserem podem comer diretamente do ramequim, deixem apenas arrefecer uns minutos para não se queimarem ;) ou desenformar, e juntar fruta. E aí está. O pequeno almoço do costume, com um pequeno twist, que faz toda a diferença :)

 

IMG_20170217_084408 a.jpg

 

Ingredientes:

3 ou 4 colheres de sopa de aveia

1 colher de sopa (cheia) de linhaça moída

1 colher de sopa (rasa) de chia

1 chávena grande de leite vegetal

Canela, gengibre ou cacau (a gosto)

Óleo de côco para untar

1 ovo

Mel

 

Misturar tudo (à excepção do ovo, mel e óleo) num recipiente e levar ao frigorífico durante a noite. De manhã juntar o ovo e o mel, colocar em ramequins untados com o óleo, e levar ao microondas 5 minutos ou ao forno cerca de 10 minutos. Podem comer diretamente do ramequim (deixem arrefecer uns minutos) ou desenformar e acrescentar fruta e toppings a gosto :)

 

Boas receitas!