Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Receitas Tolerantes

Sou uma entusiasta da cozinha e da alimentação saudável, e cozinho com amor :)

Receitas Tolerantes

Sou uma entusiasta da cozinha e da alimentação saudável, e cozinho com amor :)

Cuscus com Amêijoas e Salada Tricolor

Vi no outro dia uma receita num dos muitos livros do Jamie Oliver de esparguete com amêijoas. Tinha um aspecto de babar. E ficou-me da cabeça.

 

Ontem, a caminho de casa decidi fazer a minha própria versão. Comprei amêijoas, e mais uns ingredientes que tinha em falta e toca a cozinhar :) Numa frigideira, coloquei um fio de azeite, 4 dentes de alho esmagados, 1 kg de amêijoas, coentros com fartura, vinho branco e sal e deixei cozinhar uns 10 minutos, até abrirem todas e depois mais um pouco porque eu gosto delas bem cozinhadas. 

 

Enquanto as amêijoas borbulhavam alegremente, fervi 2 chávenas de água com uma de cuscus e umas pedras de sal, e assim que levantou fervura deixei repousar 10 minutos com a panela tapada. E entretanto preparei uma salada tricolor de legumes crus. No processador juntei 1 beterraba crua, um pedaço de abóbora e outro de curgete. Buzz buzz no bicho, e habemus salada de legumes laminados.

 

Quando tudo estava devidamente cozinhado, soltei os grãos do cuscus com um garfo, e coloquei por cima as amêijoas, escorrendo grande parte do molho. Eu sei que a parte melhor é a molhanga, devidamente ensopada em pão, mas também é o que mais engorda. Sem isso, as amêijoas até são relativamente saudáveis ;) Geralmente também gosto de saltear os cuscus com azeite, alho e salsa, ou coentros, mas como há sempre algum molho que passa das amêijoas por muito que as escorra, achei por bem saltar esse passo. Para acompanhar, temperei a salada apenas com azeite, vinagre e sal, e abrimos uma Sommersby para partilhar. Porque não? :) Com amêijoas cai sempre bem.

 

Um jantarinho simples, rápido, e bastante indulgente, óptimo para uma noite de Verão ;)

 

(Hoje para o almoço, à falta de amêijoas, juntei ao cuscus um fio de azeite temperado com alho, salmão fumado com sumo de meio limão e cebolinho e a mesma salada. Ficou igualmente bom ;))

 

 

 IMG_20150729_203055

 

 

Ingredientes (para 2):

1 kg de amêijoas

1 ramo de coentros

4 dentes de alho

Vinho branco q.b.

Azeite e Sal q.b.

 

Para o cuscus:

1 chávena de cuscus

1 chávenas de água

Sal q.b.

 

Salada tricolor:

1 beterraba média

200 ou 300g de abóbora

200 ou 300g de curgete

Tempero a gosto

 

 

Boas receitas!

Sobremesa de Morango

Hesitei entre chamar-lhe pudim e bavaroise. E na dúvida, ficou apenas sobremesa. Coube-me a missão de fazer uma sobremesa para um lanche ajantarado que tivemos hoje com uns amigos, entre os quais uma celíaca e duas intolerantes à lactose.

 

Apetecia-me alguma coisa fresca, adequada à época. Pensei em fazer um gelado, com fruta congelada e creme de côco mas teria de ser consumido na hora e o lanche era na casa duma amiga e não íamos sequer estar em casa de tarde. Portanto precisava de uma alternativa que pudesse fazer na véspera e que aguentasse meia hora de viagem. Foi então que surgiu a ideia do pudim/ bavaroise/ sobremesa.

 

Comprei gelatina de morango (usei a do Pingo Doce, que não tem glúten), uma caixa de morangos, leite de côco e tâmaras medjool. Preparei a gelatina tal como indica no pacote, mas depois de dissolver os 2 pacotes em água quente, em vez de juntar água fria, bati 400g de morangos e 4 tâmaras em 400ml de leite de côco e juntei ao preparado. Uma horas no frigorífico e sobremesa feita :)

 

Hoje, foi só colocar uns frutos vermelhos e servir. Caiu que nem ginjas depois da petiscada. Simples, fresca e bem light ;)

 

 IMG_20150726_194005

 

IMG_20150726_194020 (3)

 

 

Ingredientes (serve 6 ou 8):

2 saquetas de gelatina de morango

1 lata de 400m de leite de côco

400g de morangos

4 tâmaras medjool

 

 

Boas receitas!

Peixe no papelote com Salsa e Funcho

Estava a contar chegar a casa tarde e tinha deixado o P com a incumbência de fazer um peixinho do forno com tomate e batatas para o jantar e almoço do dia seguinte. Mas entretanto os astros alinharam-se de forma positiva e acabei por conseguir sair do trabalho cedo... E com vontade de comer tudo menos o que quer que fosse com molho de tomate. A caminho de casa fiz uma breve checklist mental para perceber se tinha de passar no supermercado ou se teria alguma alternativa em casa. Lembrei-me de ter comprado salsa recentemente. E tínhamos ainda batatas, abóbora e espinafres da horta dos país do P. E muita curgete, o equivalente a cerca de 4/5 do meu braço ;) (remeto para o post mas mini pizzas). Tudo controlado, portanto :)

 

Cheguei a casa, preparei uns "papelotes" de papel vegetal e de prata (porque o vegetal entretanto acabou). Cortei 8 rodelas de curgete, que coloquei nos "papelotes", e em cima dispus alguns espinafres, as postas de peixe - pescada para o P e raia para mim - e uma mistura de salsa, sumo de limão, 1 colher de chá de tahini ou pasta de sésamo, e meia dúzia de sementes de funcho que bati no processador. Temperei com sal e uma pitada de pimenta, fechei os papelotes e coloquei no forno cerca de 20 mins a 180º.

 

A pescada é um peixe que me aborrece. É seco, desinteressante e puxa sempre muito pela minha criatividade para se tornar mais comestível. A raia é mais saborosa, mas ainda assim, facilmente fica seca, e é preciso ser bem temperada e cozinhada para não ficar intragável. Os papelotes são uma boa forma de manter a humidade do peixe. E os temperos funcionaram lindamente quer com um, quer com o outro :D

 

Para acompanhar, fiz um puré de batata e abóbora, que temperei apenas com sal, pimenta branca moída, e um pouco de noz moscada, e triturei no processador com 2 colheres de sopa de óleo de côco. Porquê o óleo de côco? Porque sim. Porque faz bem, porque ajuda a tornar o puré mais cremoso e porque é uma alternativa saudável à manteiga ou ao leite que tradicionalmente se coloca no puré.

 

Para terminar, uma sugestão. No puré costumo juntar couve flor, ou raiz de aipo, e alternar entre a abóbora e a cenoura, e entre batata normal e doce. Fica sempre maravilhoso ;)

 

 

IMG_20150723_201837

 

 

 

 

IMG_20150723_203358

 

 

Ingredientes (2 refeições para 2 pessoas):

4 postas de peixe

8 rodelas de curgete, ou mais se só tiverem curgetes de tamanho normal ;)

2 mãos cheias de espinafres

1 ramo pequeno de salsa

1 colher de chá de tahini (podem substituir por sementes de sésamo ou retirar de todo)

Sumo de 1/2 limão grande ou 1 pequeno

Sementes de funcho

Sal e pimenta q.b.

 

Para o puré:

Cerca de 6 ou 7 batatas médias

A mesma quantidade de abóbora

2 colheres de sopa óleo de côco (ou 1 de manteiga, se preferirem)

Noz moscada

Sal e pimenta branca

 

 

Boas receitas!

Mini Pizzas de Curgete

O que fazer quando nos dão uma curgete do tamanho do nosso braço? Mini Pizzas de Curgete, obviamente :)

 

Fomos passar o fim de semana a casa dos pais do P, e como acontece sempre que lá vamos, trouxemos de volta muitos mimos, entre eles um carregamento de legumes da horta que eles têm em casa. A fruta e legumes de lá são sempre óptimos, com a vantagem de não levarem nenhum tratamento a não ser um composto que eles próprios produzem. Comidinha biológica, da boa ;D

 

Uma das pérolas que trouxemos connosco este fim de semana foi uma curgete que tem, literalmente, o tamanho do meu braço. Quando cheguei a casa, cortei uma pequena porção da curgete, laminei-a e coloquei as fatias num tabuleiro forrado com papel de alumínio que pincelei com azeite. Entretanto salteei espinafres - também da horta - com um fio de azeite, alho e sal apenas uns minutos até amolecerem. Em cima das fatias de curgete espalhei molho de tomate já preparado para pizza, os espinafres salteados, uns pedacinhos de queijo sem lactose, oregãos secos e um fio de azeite. Usei molho já preparado que tinha no frigorífico para não se estragar, mas quando faço pizza em casa geralmente limito-me a misturar polpa de tomate com alho e ervas e costuma funcionar muito bem. Quanto ao queijo, à falta de mozzarella sem lactose, utilizei fatias de queijo sem lactose normal que parti em pedaços. Também não tinha queijo congelado, que poderia facilmente triturar no processador, mas já tratei do assunto para uma próxima. E usei oregãos secos em rama, que têm muito mais sabor do que os de frasco, na minha opinião.

 

15 minutos depois, num forno pré-aquecido a 200º, já se sentia o cheiro a pizza na casa toda. Um jantar delicioso, leve, e saudável ;)

E (parcialmente) biológico :)

  

 

IMG_20150720_203859

 

IMG_20150720_203518

 

 

O pré...

 

 

IMG_20150720_201413

 

 

E o "bicho" ;)

 

IMG_20150719_210033 (2)

 

 

 

Ingredientes (para 8 mini pizzas):

8 fatias de courgete grande - ou mais caso não tenham uma gigante à mão

Molho de tomate para pizza

300 ou 400g de espinafres

3 ou 4 fatias de queijo sem lactose

Oregãos secos

Alho, azeite e sal q.b.

 

 

Boas receitas!

Strogonoff "Indiano" com Arroz de Acafrão

Antes de descobrir a minha intolerância à lactose, não era muito fã de strogonoff. Desconfio que nunca fui muito fã de natas. Em casa dos meus pais não era um ingrediente muito utilizado. São ambos muito tradicionais na cozinha: guisados, assados, tudo temperado com vinho, coentros, salsa, tomate. O ocasional cozido à portuguesa e feijoada... tudo comidinha portuguesa da boa ;)

 

A primeira vez que experimentei fazer strogonoff foi já na minha própria casa, num dia em que tinha meia lata de leite de côco para gastar e não sabia o que fazer com ela. Lembrei-me de laminar uns bifes de frango, juntar cogumelos e voilá. Fiz um arroz de acafrão com passas, que combinou optimamente com o sabor adocicado do leite de côco, e desde então faço este prato muita vezes. Converti-me ao strogonoff, versão sem lactose ;)

 

Desta vez, decidi variar um pouco. À caixa de cogumelos frescos que tinha comprado (este post vem com uns dias de atraso, mas remeto para a receita anterior, onde falo nos cogumelos ;)) juntei 2 peitos de frango partidos em pedaços, que fritei com um pouco de azeite e alho, mas em vez de juntar vinho branco como faço normalmente, temperei com 2 colheres de chá de garam masala - o chamado caril indiano. Deixei fritar uns minutos, juntei meio frasco de creme de côco (geralmente faço com leite, mas desta vez utilizei creme), sal, e deixei apurar. Não usei mais temperos porque o garam masala, sendo uma mistura de especiarias, incluindo cominhos, coentros, canela, entre outros, é já por si bastante condimentada. No final poderia ter juntado coentros frescos, mas infelizmente não tinha nem uma folhinha para amostra.

 

Enquanto o strogonoff/ caril apurava, fiz um arroz de açafrão sem passas. Utilizo muito o acafrão porque é anti-inflamatório, e porque gosto do toque subtil a terra que dá aos pratos. No final, e porque este prato foi feito propositadamente para levar para o almoço, juntei em tupperwares, deixei arrefecer um pouco, e guardei no frigorífico.

 

No dia seguinte, no trabalho, preparei uma salada de tomate para acompanhar. Bem sei que o tomate é um fruto, mas é prático para transportar e preparar no trabalho. E uma refeição para mim nunca fica completa sem uma salada, por muito singela que seja, ou legumes acompanhar.

 

 

IMG_20150715_220659

 

 

Ingredientes (2 refeições para 2 pessoas):

2 peitos de frango - o equivalente a 4 bifes médios

2 colheres de chá de garam masala

1/2 frasco de creme/ leite de côco

Azeite e alho q.b.

 

Para o arroz de acafrão, basta juntar uma colher de chá de acafrão em pó à agua enquanto o arroz coze. E passas a gosto, se quiserem.

 

No final, podem polvilhar por cima com coentros frescos :)

 

Boas receitas!

 

 

 

 

Massa com Pesto de Tomate Seco, Legumes e Cogumelos

Se há uma combinação de sabores da qual uso e abuso, é manjericão e tomate seco. Amo de paixão. Tenho sempre manjericão fresco em vaso, e um frasco de tomate seco na despensa. Quando tudo o resto falha, tenho sempre estes dois "amigos" à mão ;)

 

Ontem passei no supermercado a caminho de casa, para comprar fruta e legumes, que tenho de ter sempre com fartura em casa, e encontrei cogumelos frescos. Eles sorriram para mim, e trouxe duas caixinhas comigo :) E a receita começou a formar-se na minha cabeça...

 

Quando cheguei a casa, juntei no processador de comida dentes de alho, pinhões, os meus fiéis amigos tomate seco e manjericão, reguei com um pouco do azeite do tomate, e temperei com umas pedras de sal. Reservei. Entretanto cozi uma cabeça de bróculo, e no final juntei um molho de espargos que tinha congelados. No final, juntei à agua dos legumes duas porções de massa pho e deixei cozinhar uns 3 minutos antes de desligar. Enquanto os legumes cozinhavam, salteei uma das caixas de cogumelos, apenas com um fio de óleo de sésamo e sal.

 

Depois foi só "montar" o prato, e regar tudo com o molho pesto de tomate seco. Cozinhei a massa, legumes e cogumelos com o mínimo de temperos e gordura possíveis porque o molho só por si já de sobra.

 

E "that's all folks" :) Demorou cerca de 20 minutos do início ao fim, e o resultado final foi maravilhoso :) Os meus fiéis amigos nunca me falham ;)

 

 

IMG_20150715_202724

(a.m. ou antes de misturar)

 

IMG_20150715_203116

(e d.m. ou depois de misturar ;))

 

 

Ingredientes (para 2)

 

Pesto de tomate seco:

8 a 10 folhas de manjericão fresco

1 colher de sopa (pouco cheia) de pinhões

4 dentes de alho

Azeite e sal q.b.

 

Massa com legumes e cogumelos:

2 "novelos" (não sei o nome técnico) de massa pho

1 cabeça de bróculo pequena

1 molho de espargos

1 caixa de cogumelos frescos

Óleo de sésamo e sal q.b.

 

Boas receitas!

Massa Konjac com Salmão Marinado

Como preparar um almocinho saboroso em 5 minutos sem cozinhar? Eu explico ;)

 

Parece que afinal o salmão marinado de que falei no post anterior não acabou num wrap. Ontem chegámos tarde a casa e não conseguimos fazer almoço para hoje. Nada que não se resolvesse. Trouxe comigo para o trabalho 1 pacote de massa konjac, o salmão marinado, 1 tomate, o resto da rúcola que sobrou da salada de millet, e cebolinho fresco que cortei hoje de manhã. Tenho cá sempre azeite, vinagre balsâmico e sal, entre muitas outras coisas (de que falarei noutra altura ;)).

 

Para quem não sabe, a massa konjac tem um baixo valor nutricional, não tem glúten, e na minha opinião não tem qualquer sabor. Portanto tempero-a sempre com sal, azeite, ou junto-lhe algum tipo de molho... caso contrário é o mesmo que comer ar :P Podem encontrá-la na maioria dos supermercados e hipermercados. Eu só conheço a marca "slim pasta", mas poderão haver outras.

 

Chegada a hora de almoço, retirei a massa do pacote, lavei bem, aqueci uns minutos no microondas e temperei com um bocadinho de sal dado que o salmão marinado tem um sabor muito mais suave que o fumado. Depois juntei-lhe a rúcola, o tomate, o salmão, o cebolinho e finalizei com um fio de vinagre balsâmico (do concentrado). 

 

Em 5 minutos tinha o almoço pronto. Simples, fácil, e saboroso :)

 

 

IMG_20150708_132034

 

 

 

 

IMG_20150708_131950

 

Ingredientes (para 1):

1 pacote de massa Konjac

100g de salmão marinado

Rúcola

1 tomate

Cebolinho

Vinagre balsâmico

Sal q.b.

 

E se juntarem 1 fio de azeite à massa, acho que também não ficam mal servidos ;)

 

Boas receitas!

Salada de Millet com Atum fumado

No Verão costumo fazer muitas vezes saladas frias para o jantar. É uma forma de comer legumes (e fruta) frescos e fazer uma refeição leve e rápida, para poder aproveitar melhor tudo o que esta maravilhosa cidade tem para oferecer nesta altura do ano. Com um pequeno senão. As saladas tradicionais aborrecem-me e deixam-me insatisfeita. Cansa-me comer alface e tomate com atum ou frango, por muito que inove no molho, e acabo sempre por ficar com fome. Por estas razões estou constantemente à procura de combinações frescas, interessantes e saborosas para criar saladas saudáveis e nutritivas, que fujam ao tradicional.

 

Comprámos no outro dia uma caixa de atum fumado e decidi criar qualquer coisa partindo daí. E comprámos outra de salmão marinado que provavelmente vai acabar dentro dum wrap, com queijo creme sem lactose, cebolinho, rúcula, ou agrião e umas gotinhas de limão... e lá estou eu a dispersar ;)

 

Voltando à salada.... Comecei por cozer meia chávena de millet apenas com água e (pouco) sal. Enquanto o millet cozinhava, preparei uma taça de azeite temperado com alho e cebolinho. Depois retirei o atum da caixa, e marinei-o com o sumo de meia laranja. Finalmente, arranjei descasquei 1/2 pepino e pu-lo de molho com água e sal. Quando o millet terminou, coloquei-o nos pratos para arrefecer, e lavei um punhado de rúcola, ao qual juntei o pepino, sem sementes, cortado em pequenos cubos. Em cima do millet coloquei o azeite aromatizado, juntei a salada de rúcula e pepino, e por fim o atum e o sumo de laranja onde tinha estado a marinar.

 

O P adorou. E eu também. O azeite aromatizado e o sumo de laranja foram o suficiente para conferir humidade ao prato, o sal do atum contrastou maravilhosamente com a laranja, e duma forma geral os sabores fundiram-se todos muito bem :) Sem dúvida um prato a repetir este Verão. Rápido, fresco e nutritivo.

 

 

IMG_20150706_201121.jpg

 

 

IMG_20150706_200750.jpg

 

 

IMG_20150706_201640.jpg 

 

Ingredientes (para 2):

1/2 chávena de millet (ou cuscus, para uma versão com gluten, caso não tenham millet)

100g de atum fumado

1/2 laranja

1/2 pepino

1 mão cheia de rúcula

Azeite

Cebolinho fresco

2 dentes de alho

 

 

Boas receitas!

 

"Gelado" de Côco com Alperce

Ontem apetecia-me algo fresco para o lanche mas dadas as minhas limitações com a lactose, ir até uma gelataria e pedir um gelado de 3 bolas com tudo a que tenho direito por cima, estava fora de questão ;) Portanto, tornei-me criativa.

 

Tinha um restinho de gelado de baunilha sem lactose do Pingo Doce (que gosto muito), mas não era o suficiente para 1 bola. E um simples gelado de baunilha não era bem o que tinha em mente. Então, coloquei o gelado numa taça, cerca de 1/2 bola, e juntei-lhe 2 ou 3 colheres de sopa do iogurte novo da Alpro soja de côco (fotografia em baixo). Apesar de não ser grande fã de iogurtes de soja, geralmente prefiro comprar dos naturais sem lactose, quer este de côco, quer o de amêndoa, são dos meus favoritos actualmente. Foram boas adições à gama deles.

 

Misturei o gelado com o iogurte até ficar cremoso, e juntei alperces maduros, passas de arando, pistáchios, e sementes de chia e de girassol para o tornar mais nutritivo. Não era bem o que tinha imaginado inicialmente, mas foi uma alternativa muito fresca, saudável e saborosa.

 

Com a vantagem de ter demorado cerca de 2 minutos a preparar :)

 

IMG_20150705_160950

 

 

 

IMG_20150705_160020

 

Boa semana e boas receitas!

 

 

Batido amarelo

Fazemos algumas vezes batidos para o pequeno almoço. Geralmente acompanho-os de uma fatia de pão com fiambre ou queijo fresco sem lactose, ou junto-lhes algum tipo de hidrato, e outros extras, mas fiquei tão satisfeita que nem precisei de comer mais nada até à hora de almoço.

 

Estou ciente de que quanto mais colorida a selecção de frutas e legumes, mais nutrientes tem. E também sei que teria ficado nutricionalmente mais rico se tivesse juntado aveia, ou um outro cereal, e sementes. Muitas vezes é o que fazemos. Hoje, por acaso do destino, juntei uma série que coisas que tinha no frigorífico para gastar e foi este o resultado: um batido amarelo (com um ligeiro toque de verde), rico o suficiente para me aguentar até à hora de almoço (3 horas depois).

 

A receita levou 1 banana, 1 pêssego, cerca de 400 ml de leite de soja de baunilha, umas 200g de abóbora manteiga, 1 talo de aipo (usei as folhas e metade do talo) e canela. Bati tudo no liquidificador até ficar macio. Deu para cerca de copo e meio para cada um (o equivalente a uma chávena grande). 

 

Ficou muito bom. Fresco, mas com o toque abaunilhado do leite e pequenas notas de canela e de aipo no final :) 

 

IMG_20150703_091817

 

IMG_20150703_140358

 

 

Ingredientes (para 2):

1 banana

1 pêssego

400 ml de leite de soja de baunilha

200g de abóbora manteiga

1 talo de aipo

Canela q.b.

 

 

Bom dia e boas receitas!

 

 

Falafel de Bróculos com Molho de Sésamo

Falafel é uma daquelas comidas que me fazem revirar os olhos de prazer. A-do-ro. A mistura do grão com a salsa e os cominhos é tão perfeita que era capaz de o comer todos os dias. Ok. Dia sim, dia não, para não enjoar ;)

 

Já me andava a apetecer há uns dias, e hoje finalmente tive tempo e oportunidade de o fazer. Tinha também uma cabeça de bróculo pequena no frigorífico que queria gastar e lembrei-me que era capaz de ficar interessante juntar ao falafel. Cozemos os bróculos até estarem bem tenros e enquanto eles cozinhavamos preparámos o acompanhamento. O P, que é o meu mega ajudante de cozinha, foi-me auxiliando em todo o processo :) 

 

Quando os bróculos já estavam bem cozidos, escorremo-los bem, e retirámos o excesso de água pressionando-os com um garfo no escorredor até ficarem em puré. Depois juntámo-los aos restantes ingredientes que já estavam no processador. A receita que geralmente sigo é esta, com alguns ajustes:

http://pureella.com/10-minute-falafel-cakes-with-creamy-lemon-tahini-dressing-vegan-and-gluten-free/

 

A minha versão leva grão escorrido, uma mão cheia de salsa, alho, cominhos, sal, pimenta e pimenta cayena. Hoje aumentei um pouco as doses de cominhos e sal para se sobreporem ao sabor dos bróculos, e usei 2 colheres de farinha (uma mistura sem glúten que fiz em casa) para não ficar tão mole. Não tinha arroz nem quinoa cozinhados portanto omiti esse passo, mas se tiverem, ficam com uma textura mais compacta, o que ajuda na parte de moldar e fritar. Não usei cebola. Aliás, excepto em alguns refogados, geralmente não uso cebola porque não sou muito fã. Depois de juntar os ingredientes no processador e de pulsar 2 ou 3 vezes, juntei os bróculos e continuei a triturar até ficar uma espécie de pasta, mas com alguns pedacinhos ainda visíveis.

 

Em seguida, moldámos o preparado em pequenas bolas, que depois achatámos ligeiramente, e levámos a fritar numa frigideira, com um pouco de óleo de sésamo. Bastam 2 minutos de cada lado. Cuidado a virar, que são muito sensíveis. Estes especialmente por causa dos bróculos.

 

Finalmente, preparei um molho de tahini (pasta de sésamo), com azeite, vinagre e sal, para colocar por cima do falafel. Usei cerca de 2 colheres de sopa de azeite, 1 de vinagre, 1 colher de chá de tahini e umas pedrinhas de sal. Mas sobrou bastante, portanto eu diria que basta usar metade destas quantidades. O falafel é maravilhoso já por si, mas este molho leva-o a todo um novo nível. 

 

Para acompanhar, uns legumes salteados, ou uma saladinha, et voilá. Um jantar saudável, e de revirar os olhos! :) As pupilas gustativas até batem palmas. E posso dizê-lo com toda a modéstia, porque a receita nem sequer é minha... sou só a mensageira.

 

 

1660732_10205064074615037_5961257193924458320_n.jp

 

 

 Ingredientes (dão para cerca de 24 bolinhas):

1 lata de grão

1 molho de salsa

2 dentes de alho

1 e 1/2 colher de chá de sal

1 e 1/2 colher de chá de cominhos em pó

400g de bróculos cozidos

1 pitada de pimenta e pimenta de cayena

2 colheres de farinha sem gluten

Óleo de coco para fritar

 

Para o molho de tahini:

1/2 colher de chá de tahini

1 colher de sopa de azeite

1/2 colher de sopa de vinagre

Sal q.b.

 

 

Boas receitas!

Beber água

Dizem que devemos beber pelo menos 1.5 litros de água por dia, o que nem sempre é tarefa fácil. Ainda hoje falava com uma colega sobre isso, e eu tenho um truque muito fácil. Poderá não resultar com toda a gente, mas fica a dica de qualquer forma :)

 

Se comer 5/6 vezes ao dia, basta-me beber 1 copo de água - cerca de 250 ml - antes de cada refeição para atingir a dose mínima recomendada :) Assim sendo, instituí uma regra para comigo própria de não comer nada sem beber água antes. Mal acordo bebo 1 ou 2 copos de água, geralmente morna e com umas gotinhas de limão. Depois termino de me arranjar e tomo o pequeno almoço. Se comer a meio da manhã, bebo um copo de água 10/15 mins antes de comer, e por aí fora: antes do almoço, do lanche (que por vezes são 2) e da ceia, quando existe.

 

Desta forma, não só crio uma associação que me obriga a lembrar de beber água, como ao fim de um tempo a seguir a regra - sem a quebrar - o corpo habitua-se e ele próprio "pede" água :)

 

 

drip-101069_1280

 

 Mantenham-se hidratados! ;)